Dons transformados em solidariedade

Com agulha e fio de crochê nas mãos, Maristela de Carvalho mostra habilidade ao trançar os pontos. O dom para o artesanato surgiu aos sete anos, uma paixão transmitida pela avó. A aptidão manual não para por aí, ela também é cozinheira e dá aulas de pintura e gastronomia. Mas seu maior talento é transformar tudo isso em solidariedade.

Há 30 anos, Maristela atua como voluntária. Sua primeira ação foi ensinar mulheres de uma casa de recuperação a fazer bijuterias e crochê, em Pirassununga, no interior de São Paulo. Quando se mudou para o Paraná, começou a dar aulas de pintura. Hoje, morando em Joinville, Maristela também passou a dar curso de gastronomia para haitianos e participar do grupo “Um Polvo de Amor” que atua mensalmente no Hospital Infantil.

Diariamente, Maristela dedica seu tempo para confeccionar polvos de crochê para presentear os pacientes do Hospital Infantil. Além de produzir o artesanato, ela ensina crochê para as voluntárias do grupo. Uma das grandes diferenças na produção da voluntária não está nos pontos bem trançados: “Eu oro por cada polvo que faço para Deus abençoar a criança que vai receber”, revela.

Por onde passa, Maristela deixa um pouco de si ao compartilhar seus dons com outras pessoas. Para ela, é gratificante apoiar e dividir o que sabe com o próximo. Mais que satisfação em praticar a caridade, sua recompensa é o carinho de quem recebe sua ajuda. “Não há dinheiro no mundo que pague a sensação de se sentir amada”, resume a voluntária.

Anúncios