Corações solidários (25)

O Hospital Infantil foi contemplado com uma reprocessadora para limpeza e desinfecção de endoscópios que será utilizada pelo Centro Cirúrgico da instituição. A doação foi realizada pela entidade religiosa Arautos do Evangelho que esteve no hospital para fazer a entrega oficial e conhecer um pouco do trabalho desenvolvido pela instituição.

De acordo com a coordenadora de Ações Sociais, Quésia de Araújo Grellmann, a aquisição de equipamentos médicos hospitalares modernos e a manutenção dos setores é imprescindível para a qualidade dos atendimentos e procedimentos realizados. “A limpeza, que antes era feita de forma manual, agora será automatizada. Mesmo com todo o cuidado que já havia na higienização dos materiais, esse equipamento vai contribuir ainda mais no processo de desinfecção.”, explica Quésia.

Anúncios

Bazar do Hospital Infantil

O Hospital Infantil realizou mais uma edição de seu tradicional bazar, com peças provenientes de doações. Com a ajuda de colaboradores do hospital e voluntários, o Hospital Infantil conseguiu arrecadar mais de R$14 mil. De acordo com a coordenadora de Ações Sociais, Quésia de Araújo Grellmann, o bazar é uma ferramenta muito importante para o hospital, tendo em vista que, por meio do valor arrecadado, é possível investir em melhorias. “Estamos muito felizes com o resultado e extremamente gratos pela participação de todos os colaboradores, voluntários e apoiadores, como o Instituto Carlos Roberto Hansen, além dos voluntários da Maternidade Darcy Vargas, que abraçaram essa causa”, agradece.

bazar.jpg

Amizade que faz o bem

Quando os olhos da golden retriever Toscana cruzam com os olhos do educador canino Edmundo Sales, não é preciso dizer nenhuma palavra: eles se entendem pelo olhar. Juntos há 7 anos, eles não são mais cão e adestrador, mas dois grandes amigos. Durante as visitas ao Hospital Infantil, a cachorra se torna o centro das atenções entre pacientes, acompanhantes e colaboradores. Mas hoje, o protagonista é seu parceiro Edy, que tem muita história para contar.

Desde criança, Edy gostava de animais, mas sua grande paixão sempre foram os cães. Formado em Publicidade e Propaganda, trabalhou na área de criação e vendas. Em 2009, após sofrer um acidente envolvendo um cachorro, descobriu que seu destino era juntar sua paixão com a profissão. Começou a fazer vários treinamentos para aprender as técnicas de adestramento e se especializou em comportamento canino. “Eu vejo os cães como eternos professores, eles nos trazem muito aprendizado.”, observa Edy.

Em 2013, junto com a amiga Joana Faria de Camargo, desenvolveu o projeto de Cinoterapia, com o objetivo de realizar atividades terapêuticas com crianças por meio dos cães. Neste mesmo ano, iniciou o voluntariado com a Tosca no Hospital Infantil. “Poder realizar o voluntariado dentro da minha profissão é uma satisfação enorme. Eu faço isso de coração aberto porque preenche minha alma”, declara.

Edy e Tosca já fizeram parte de muitas histórias no Hospital Infantil. “A gente se emociona em ver uma criança que não caminhava e consegue iniciar a fisioterapia ao lado da Tosca, por exemplo”, relata o adestrador. Mais que afinidade, a dupla criou um vínculo de amor pelo o que fazem juntos. “Eu fico feliz em vê-la, ela fica feliz em me ver e toda vez que eu vou busca-la para ir ao hospital, parece que a felicidade dela é imensa porque ela sabe exatamente o que vai fazer”, resume

Corações solidários (24)

A estação mais fria do ano está chegando, mas ações solidárias como as campanhas do agasalho são capazes de aquecer corações dos que doam e dos que recebem. O Grupo Tigre doou mais de 1.400 peças de roupas e 80 pares de calçados ao Hospital Infantil, por meio de uma campanha realizada na empresa. Foram dois meses coletando roupas, calçados e cobertores junto aos colaboradores. Em Joinville, mais de 200kg de roupas foram doadas.

Corações solidários (23)

O Hospital Infantil recebeu a doação de garrafas pet decoradas para serem utilizadas por crianças e adolescentes que fazem teste diário de glicemia e aplicação de insulina. A ação faz parte do projeto “Descarte Humanizado” que tem o objetivo de incentivar o descarte correto de agulhas utilizadas por pacientes diabéticos. Os materiais foram produzidos por alunos do curso de Técnico em Enfermagem do Instituto Pró-Rim.

De acordo com a professora Sandra Paladino, por não saber onde descartar as agulhas, a maioria dos pacientes faz o descarte no lixo comum, podendo causar acidentes. “A ideia é que depois de encher as garrafas, o paciente encaminhe para uma unidade de saúde ou acione o serviço de limpeza urbana para recolher”, esclarece Sandra.